terça-feira, 18 de dezembro de 2012

A NOITE VEM BUSCAR SECRETAMENTE



A noite vem buscar secretamente
através das dobras das cortinas
brilho de sol esquecido em teu cabelo.
Olha, nada mais quero que não seja
ter entre as minhas tuas mãos , e ser
tranqüilo e bom, todo cheio de paz.

Fazes-me crescer a alma que estilhaça
o dia-a-dia em cacos; e assim ganha
uma amplitude que é milagre teu:
Nos seus molhes de aurora vão morrer
as primeiras ondas de infinidade.

Rainer Maria Rilke

quarta-feira, 5 de dezembro de 2012

AVE DA ESPERANÇA



Passo a noite a sonhar o amanhecer.
Sou a ave da esperança.
Pássaro triste que na luz do sol
Aquece as alegrias do futuro,
O tempo que há-de vir sem este muro
De silêncio e negrura
A cercá-lo de medo e de espessura
Maciça e tumular;
O tempo que há-de vir - esse desejo
Com asas, primavera e liberdade;
Tempo que ninguém há-de
Corromper
Com palavras de amor, que são a morte
Antes de se morrer.

Miguel Torga
In ‘Obra Completa’

terça-feira, 4 de dezembro de 2012

A MINHA ESTRELA



E eu disse - Vai-te, estrela do Passado!
Esconde-te no Azul da imensidade,
Lá onde nunca chegue esta saudade,
- A sombra deste afeto estiolado.

Disse, e a estrela foi p'ra o Céu subindo,
Minha'alma que de longe a acompanhava,
Viu o adeus que do Céu ela enviava,
E quando ela no azul foi-se sumindo

Surgia a Aurora - a mágica princesa!
E eu vi o Sol do Céu iluminando 
A catedral da Grande Natureza.

Mas a noute chegou, triste, com ela
Negras sombras vtambém foram chegando,
E nunca mais eu vi a minha estrela!

Augusto dos Anjos
In Poesia/Poemas Esquecidos