sexta-feira, 20 de abril de 2012

NOTURNO URBANO



O cansaço anoitece
nas solidões aglomeradas.

Noite alta,
velam janelas,
semáforos insones.

Nem um trilar de grilo
estremece a teia do tédio

Helena Kolody
in Poesia Mínima


Nenhum comentário:

Postar um comentário