domingo, 15 de julho de 2012

À BEIRA DA TARDE


À BEIRA DA TARDE
(Adriano Wintter)

Confinado a preencher
a vida com palavras, vivê-la
apenas em parte
e, assim dividida,
ainda sonhá-la
sempre maior.

Confinado à treva
que em minha pele acende
o rude lume de seu horror
- e tortura.

Confinado a tanto
por tão pouco,
ou a nada, por alto preço,
sigo daqui nesta esperança
- nesta certeza -
de que se ilumina
o mundo, lá fora,
numa aventura bem melhor.

Nenhum comentário:

Postar um comentário