segunda-feira, 27 de agosto de 2012

ANIQUILAMENTO



Impossível disfarçar e dizer que isso não é angústia.
A esta hora da noite qualquer sorriso murcharia nos lábios.
É inútil pôr esse brilho nos olhos e erguer os ombros.
A vida rolará indiferente,
ríspida, indiferente.
Precisas de um caminho? Ora, o melhor é ir derribando logo esses troncos,
arrancando os espinhos, chanfrando a terra, desviando o curso das águas,
e pensar, ah, sobretudo pensar
que, antes de depois de ti,
tudo, tudo está quieto,
estará quieto,
serenamente
quieto.



Emílio Moura

Nenhum comentário:

Postar um comentário