segunda-feira, 14 de maio de 2012

NOITE EM CLARO



A noite pálida de vento espia,
a lua espera mergulhar na mata.
que é que me força a estar desperto e olhar
em redor, com a dor a me inquietar?

Eu estava dormindo e até sonhando:
que foi que me acordou e assustou tanto,
em meio à noite, como se eu tivesse
esquecido a coisa mais importante?

Melhor seria eu deixar esta casa,
o jardim, a cidade, o país, tudo:
seguir esse chamado, essa palavra
mágica - e sempre mais, seguir o mundo.


Hermann Hesse
In Andares

Nenhum comentário:

Postar um comentário