quarta-feira, 13 de junho de 2012

ALMA ESTRANGULADA




 
Cada um de nós que vai por essa estrada deserta
sente que uma multidão de espíritos vive dentro de si.
Às vezes nos surpreendemos tão diferentes de nós mesmos...

(As sombras na alma pesam tanto, são tão quietas,
como a noite, são tão frias, como o luar).

... tão diferentes, como se, de súbito,
uma multidão de espíritos vivesse dentro de nós.


Emílio Moura
Itinerário Poético

Nenhum comentário:

Postar um comentário