quinta-feira, 21 de junho de 2012

A LUA



Há tanta solidão nesse seu ouro.
A lua dessas noites não é a lua
Que viu o primeiro Adão. Os longos séculos
Da vigília humana cumularam-na
De antigo pranto.
Olha-a.
É teu espelho.

Jorge Luis Borges
in A Moeda de Ferro

Nenhum comentário:

Postar um comentário