domingo, 21 de outubro de 2012

CORCOVADO



Montanha ilustre
límpida no cristal da madrugada,
escorrendo ouro fluido
nas grandes horas acesas,
serena e distante no crepúsculo
transfigurada, na noite
em mágico Thabor.

Não conhecem o teu total esplendor
os que não viram, como eu vi,
descerem as estrelas
e dançarem, perdidas,
em torno ao teu cristo branco
uma ronda sem tempo.

Tasso Da Silveira
in Poemas de Antes

Nenhum comentário:

Postar um comentário