sábado, 10 de novembro de 2012

LUAR




De brejo em brejo,
os sapos avisam:
- A lua surgiu!...

No alto da noite
as estrelinhas piscam,
puxando fios,
e dançam nos fios
cachos de poetas.

A lua madura
rola, desprendida, 
por entre os musgos
das nuvens brancas...
Quem a colheu,
quem a arrancou
do caule longo
da Via-Láctea?...

Desliza solta...

Se lhe estenderes
tuas mãos brancas,
ela cairá...

João Guimarães Rosa
In Magma

Nenhum comentário:

Postar um comentário