domingo, 11 de novembro de 2012

PARA QUE VENHAM


Uma só vela basta. Sua luz mortiça
Uma atmosfera mais propícia há de compor,
Quando as sombras vierem, as sombras do amor.
Uma vela somente. Que esta noite o quarto
Muita luz não ostente. Entregue ao devaneio,
E às sugestões do ambiente, e dessa luz tão pouca
Ao devaneio assim entregue, hei de sonhar,
Para que as sombras venham, as sombras do amor.


Konstantinos Kaváfis 

Nenhum comentário:

Postar um comentário